identificador da página

Ir para a página inicial

Correios de A a Z
Escolha pela letra inicial dos nossos produtos, serviços e assuntos.

Todos os itens
Correios de A-C
Correios de D-F
Correios de G-Q
Correios de R-Z
.



Centro Cultural Correios Recife - Programação

Exposições

Paixão Plástica

Exposições

Fotografias - Breno César

Paixão Plástica, projeto aprovado pelo Funcultura 2013,  mostra uma variedade de fotografias abstratas criadas a partir de composições utilizando o plástico como matéria prima.

O desejo imagético entre a pintura e a fotografia foi o que motivou as criações de Breno César. Suas fotografias tentam provocar e expandir os sentidos do observador através de imagens de objetos plásticos construídos, numa sofisticada composição orgânica de cores e texturas.

Esta exposição traz um olhar diferenciado dentro da arte fotográfica pernambucana, ampliando as possibilidades de novas estéticas no Estado. A abstração fotográfica vai além do que propõe a pintura abstrata quando as referências do mundo real se dissolvem e o observador é transportado ao universo da imaginação e do estranhamento em composições intrigantes, promovendo novas subjetividades.

Sobre o artista

Breno César, 33 anos, pernambucano, artista visual, é natural de Caruaru e graduado em Arte e Mídia pela universidade Federal de Campina Grande, desde 2007 reside em Recife onde tem uma intensa produção em fotografia, cinema e videoarte.

Serviço

Evento: Exposição " PAIXÃO PLÁSTICA "
Local: Centro Cultural Correios (Av. Marques de Olinda, 262 -  Bairro do Recife) 
Horário:  09 às  12 horas de terça a sexta, sábados e domingos das 12 às 18 horas
Entrada Franca
Informações e agendamentos:  81 3224  5739  
www.centroculturalcorreiosrecife@correios.com.br  
www.flickr.com/brenocesar

Contemporânea Arte Cerâmica

Exposições

Arte cerâmica é homenageada em mostra no Centro Cultural dos Correios

O Centro Cultural dos Correios recebe, a partir do dia 14 de março, a mostra coletiva "Contemporânea Arte Cerâmica", exposição produzida em parceria por Laurindo Pontes, da Atenarte e Tactiana Braga, da B52 Cultural. A exposição, que contará com a participação de grandes artistas da atualidade, foi idealizada para ser um espaço de compartilhamento de saberes entre os grandes ceramistas convidados. A mostra é dedicada a Luiggi Poluzzi (in memorian) pela sua contribuição, na construção e manutenção dos fornos cerâmicos do Nordeste, faz uma homenagem a Francisco Brennand pela sua importante contribuição à arte cerâmica e realiza uma sala especial para Anneliese Poluzzi, uma das pioneiras na arte cerâmica no estado, expondo trabalhos que destacam várias técnicas e décadas de atuação.

Para compor o painel de grandes artistas com excelência na arte cerâmica contemporânea, a mostra ainda reunirá Ângela Poluzzi, Christina Machado, Ferreira, Miguel dos Santos, Rinaldo, Tiago Amorim. Em paralelo, os visitantes poderão conferir vídeos e palestras sobre os processos de criação e sobre as inovações da arte cerâmica.

De acordo com os organizadores, mais de 8 mil pessoas devem visitar a mostra. O número bastante positivo foi estimado levando em consideração o caráter pioneiro da exposição. ?No Brasil, ainda há poucos espaços destinados ao assunto. A arte cerâmica ainda acontece no silêncio dos ateliers. Desconheço, em Recife, uma exposição dedicada exclusivamente ao tema. A ?Contemporânea Arte Cerâmica? surge como uma ação catalizadora. Queremos chamar a atenção do público para esta arte que perpassa gerações?, explica Tactiana Braga.

Pernambuco é destacado pela sua significativa produção de artesanato cerâmico, possuindo núcleos reconhecidos internacionalmente, como o Alto do Moura, em Caruaru, o Morro dos Ventos, em Belo Jardim e a cidade de Tracunhaém, localizada na Zona da Mata Norte. No entanto a produção de arte está mais concentrada na capital pernambucana, com destaques, como o imponente projeto de Francisco Brennand e diversos ateliers que concentram a inquietação que passa pelas mãos dos artistas, toma forma no barro e após passar pelo fogo, em altas temperaturas, ganham a dimensão de arte cerâmica.

A "Contemporânea Arte Cerâmica" tem o incentivo da Lei Rouanet, Apoio do Centro Cultural Correios Recife, Governo de Pernambuco, Gráfica Santa Marta, patrocínio dos Correios e é uma realização do Ministério da Cultura e Governo Federal do Brasil. A exposição disponibiliza o serviço de agendamento e monitoria para visitação de grupos escolares e terá entrada gratuita.

Serviço

Exposição: "CONTEMPORÂNEA ARTE CERÂMICA"
Local: Centro Cultural Correios (Av. Marques de Olinda, 262 - Bairro do Recife)
Abertura: 14/03/2014
Período do evento : 14/03/2014 a 11/05/2014
Horário: terça a sexta da 09 às 18 horas, sábados e domingos das 12 às 18 horas
Entrada Franca
Informações e agendamentos: (81) 3224-5739
www.centroculturalcorreiosrecife@correios.com.br
VERBO Assessoria de Comunicação Fone: (81) 3031-3351



DOIS SÉCULOS DE JUNDIÁ

Exposições

A exposição ?DOIS SÉCULOS DE JUNDIÁ? do fotógrafo Alberto Khaleu  retrata  o engenho Jundiá em Vicência - Pernambuco de uma forma mais intimista aos olhos da sociedade, abrangendo de forma visual os laços de família , os detalhes do lar e a conservação de seu patrimônio ao longo desses duzentos anos. A casa onde nasceu um dos grandes historiadores do Brasil, Manoel Correa de Andrade abre suas portas  e nos apresenta a beleza de suas terras, tão bem cultivadas e cuidadas ao longo desses duzentos anos. Demonstrando conceitos administrativos aplicados, no cultivo diversificado na região. Um projeto único que abrange vários pontos na educação visual, como os geográficos, históricos, sensoriais, econômicos e ambientais, de uma forma leve e estimulante que é a fotografia.

Serviço:

Evento:  DOIS SÉCULOS DE JUNDIÁ
Local: Centro Cultural Correios (Av. Marques de Olinda, 262 -  2º. Andar -  Bairro do Recife) 
Período do evento:  27.02 a 23.03.2014.
Horário:   Segunda a sexta das 9h às 18 horas, sábados e domingos das 12 às 18 horas.
Entrada Franca
Informações e agendamentos:  (81) 3224-5739
www.centroculturalcorreiosrecife@correios.com.br



Recife recebe a exposição "O Sertão de Zé do Mestre"

Exposições

Artesão, poeta e aboiador de 81 anos e um dos únicos do sertão pernambucano a confeccionar um traje típico de vaqueiro, José Luiz Barboza é destaque da mostra que acontece no Centro Cultural Correios de 06 de dezembro a 02 de fevereiro

O universo de José Luiz Barboza, o Zé do Mestre, renomado artesão de couro do sertão pernambucano, será exposto a partir do dia 06 de dezembro, no segundo andar do Centro Cultural Correios, no Recife Antigo. A mostra, que já percorreu cidades do sertão e do agreste do Estado, conta com fotos, trilha sonora, vídeo, um gibão dos anos 50 e indumentárias em couro com detalham a vida, o cotidiano e o ofício do artesão, poeta e aboiador de 81 anos de idade.

Figura emblemática do sertão, Zé do Mestre nasceu em 1932 no Sítio Cacimbinha, zona rural do município de Salgueiro, onde vive e trabalha até hoje com a colaboração de sua mulher, Dona Toinha, filhos e netos. Aprendeu com seu pai a confeccionar todos os apetrechos da indumentária do vaqueiro - gibão, perneira, chapéu, bota, luva, guarda-peito, chicote e corda de relho para amarrar o boi - e hoje figura entre os poucos artesãos que sabem confeccionar um traje típico de vaqueiro. Com mais de 72 dedicados ao ofício, já confeccionou mais de três mil vestimentas, uma delas ofertada ao seu amigo e ídolo Luiz Gonzaga.

Na mostra, os visitantes terão a oportunidade de conhecer melhor a história, o cotidiano e o contexto da caatinga, no qual Zé do Mestre está inserido, por meio de um documentário dirigido por Tila Chitunda, produzido especialmente para a exposição, e de fotografias da intimidade do artesão e de sua família no Sítio Cacimbinha. Para Ticiano Arraes, curador da mostra a exposição é uma grande homenagem a esse artesão que há tantos anos se dedica ao seu ofício com vigor. "Apresentar esse universo tão rico e encantador do sertão, dos vaqueiros, da caatinga através do olhar de um mestre artesão traz infinitas possibilidades de aprendizado e diálogo com a nossa própria história", destaca Ticiano.

A exposição tem um roteiro: inicialmente, serão apresentados materiais, ferramentas e técnicas utilizadas por ele, além de um traje completo confeccionado e utilizado pelo próprio artesão, na década de 1950. Em seguida, os registros do fotógrafo Josivan Rodrigues mostrarão como a matéria-prima utilizada na indumentária é curtida, cada etapa do processo de confecção e a reprodução da mesa de trabalho deste alfaiate dos ternos de couro.

Depois, O Sertão de Zé do Mestre levará seus visitantes ao universo do vaqueiro, à fé sertaneja e à importância da indumentária enquanto couraça. Nele, além de imagens da missa do vaqueiro e de uma pega de boi, serão expostos incríveis portraits de vaqueiros e peças da indumentária marcadas pelo uso, que evidenciam a coragem e ousadia dos sertanejos que se dedicam a esta profissão.

A mostra O Sertão de Zé do Mestre tem curadoria de Ticiano Arraes e foi concebida com o intuito de criar um espaço de diálogo e reflexão sobre o sertão, seus modos e costumes, a lida com o gado e a figura do vaqueiro, a partir da vida e da obra do renomado artesão do couro José Luiz Barboza. O projeto tem o patrocínio dos Correios, Centro Cultural Correios e do Governo Federal.

Serviço:
Evento:"O SERTÃO DE ZÉ DO MESTRE"
Local: Centro Cultural Correios (Av. Marques de Olinda, 262 - Bairro do Recife)
Contatos: Ticiano Arraes 81 8491.5045 Zé do Mestre 87 9101.9113 [Irineu - filho de Zé do Mestre] Josivan Rodrigues 81 8841.2025 | 81 9945.3444 | 81 9245.2529
Horário: 3 ª a 6ªdas 09 às 18:00 horas, sábados e domingos das 12 `s 18 horas
Abertura:dia 06.12.2013 às 19:00 horas
www.centroculturalcorreiosrecife@correios.com.br



Audiovisual

Cine Clube Curta Doze e Meia

Exposições

Cineclube Curta Doze e Meia apresenta sessões de cinema e oficinas no Centro Cultural Correios Recife

As sessões são abertas ao público com exibição de vídeos nacionais seguidas de debates e as oficinas voltadas para o público infantil

Retomando suas atividades abertas ao público a partir do dia 13 de março, o Cineclube Curta Doze e Meia levará sessões semanais de cinema compostas por curtas e médias-metragens nacionais para o auditório do Centro Cultural Correios - CCC Recife. As exibições gratuitas são programadas através das mais variadas temáticas e acontecerão todas as quintas-feiras, às 12h30. Também serão realizadas sessões escolares para instituições públicas durante o período letivo e oficinas voltadas para crianças e adolescentes no período de férias escolares. A programação completa será divulgada no blog www.curtadozemeia.blogspot.com.

O Cineclube Curta Doze e Meia é uma iniciativa de cineclubistas de Pernambuco - que desenvolvem atividades com exibição de filmes em diferentes regiões do Estado - em parceria com o CCC Recife. Funciona todas as quintas-feiras, das 12h30 às 14h, para o público em geral e uma vez por mês, das 15h às 18h para Escolas da Rede Pública ou instituições não-governamentais previamente cadastradas. Todas as sessões acontecem no auditório do Centro Cultural, no bairro do Recife, e a programação é composta por filmes brasileiros, com foco na pluralidade de temáticas e gêneros cinematográficos. Em caso de programações compostas por vídeos pernambucanos, há sempre a presença de pessoas que participaram das produções, sejam elas diretores, atores e/ou técnicos.

Todas as atividades possuem entrada franca e o projeto tem os Correios como patrocinador exclusivo, fortalecendo ainda mais a relação do Centro Cultural da empresa com a comunidade ao redor.

Serviço

Exposição: "CINE CLUBE CURTA DOZE E MEIA"
Local: Centro Cultural Correios (Av. Marques de Olinda, 262 - Bairro do Recife)
Abertura: 13/03/2014
Período do evento : todas as quintas a partir do dia 13/03/2014
Horário: 12:30 às 14:00 horas
Entrada Franca
Informações e agendamentos: (81) 3224-5739
www.centroculturalcorreiosrecife@correios.com.br  
www.curtadozemeia.blogspot.com  (81) 9223-2182 ou curtadozemeia@gmail.com



Música

Quinteto Violado - concerto aula

Exposições

Fundamentando seu trabalho na pesquisa, no registro e na documentação das expressões artísticas da música regional, com foco nas tradições do Nordeste, o Quinteto Violado percebeu desde o início da sua carreira que estava comprometido com uma linguagem artística indissociável da identidade e da herança cultural das comunidades brasileiras.

À medida que o trabalho musical do grupo foi evoluindo em suas leituras e criações, foi também suscitando entre seus integrantes uma preocupação com as novas gerações, fortemente submetidas a uma invasão de dados e elementos culturais estranhos às suas realidades. Esse processo, que provoca distanciamento cada vez mais evidente da identidade, ocorre mais em decorrência da falta de oportunidade de escolha do que da real possibilidade de eleger as expressões e os produtos culturais que farão parte de suas vidas.

Partindo dessa constatação, o Quinteto Violado sentiu a necessidade de trabalhar a cultura musical nordestina voltada para um público de crianças e adolescentes, estimulando-os a conhecer melhor e a desfrutar do universo das manifestações culturais e dos gêneros musicais da sua região, apresentando com riqueza de informações, de forma a provocar descobertas e emoções que os dignifiquem como cidadãos.

Ainda na década de 1970, portanto, o grupo começou a desenvolver um formato específico de apresentação em escolas e centros de juventude. Em longas turnês por cidades do interior de Pernambuco - assim como de outros estados do Nordeste, do Sul e do Sudeste do país -, o Quinteto passou a realizar, além dos shows para o público em geral, apresentações do tipo concertos-aula, que combinam palestra ilustrada com poesia e música.

Nestes encontros, com o apoio dos seus instrumentos, os músicos do Quinteto demonstram e explicam as várias formas de ritmos e gêneros musicais que caracterizam os ciclos culturais do nordeste:

Carnavalesco:

Compreendem todos os variados ritmos do FREVO: Frevo de Bloco, Frevo Canção e Frevo de Rua.

Ainda neste ciclo observam-se as manifestações do Maracatu e dos Caboclinhos com influencias e batuque Afros e Indígenas.

Junino:

Este período homenageia no mês de junho, os santos: São José, São João e São Pedro, com suas tradições mais expressivas vindas do meio rural nordestino.

Este ciclo está marcado pelo grande cancioneiro Luiz Gonzaga ?Rei do Baião? e seus seguidores, forrozeiros, poetas, cantadores, sanfoneiros, responsáveis pela criação dos gêneros: Baião, Xote, Coco, Xaxado, Marchinhas Juninas e suas derivações que difundiram o Forró Pé de Serra em suas variações modernosas pelo Brasil.

Natalino:

As expressões musicais mais marcantes desse ciclo vêm da formação religiosa do nosso povo. Período das comemorações de Natal e Reis, com os autos populares carregados de muitos cânticos e ritmos em suas jornadas. Teremos então para ilustrar: O Pastoril, os Reisados, o Guerreiro, O Cavalo Marinho, Bumba Meu Boi, Marujadas, Cirandas e tantas outras manifestações que acontecem no período.

Para ilustrar estes ciclos, a obra do Quinteto Violado possui um imenso repertório dedicado a todos os gêneros musicais que serão apresentados para esses jovens, destacando as suas características rítmicas, denominada por Gilberto Gil como sendo o FREE- nordestino.

De maneira pedagógica e lúdica, são apresentadas as variantes rítmicas brasileiras, as obras clássicas do nosso cancioneiro popular, os compositores e artistas que contribuíram para a sua expressão, assim como as conexões dessas manifestações com as festas populares.

Evocando a história brasileira e, sobretudo, mostrando com dignidade a beleza da nossa cultura musical, o Quinteto Violado encontrou no formato concerto-aula um canal de acesso às novas gerações, como meio de contribuir de forma consistente para valorização da identidade brasileira e do fortalecimento da cidadania.

Sobre os artistas:

Marcelo Melo - Voz, Violão e Viola
Dudu Alves - Voz e Tecladoa
Roberto Menescal - Voz e Bateriaa
Ciano Alves - Flauta e Violãoa
Sandro Lins - Baixoa
Raminho - Percussão (Participação especial)

Serviço:

Evento: "QUINTETO VIOLADO - CONCERTO AULA"
Local: Centro Cultural Correios (Av. Marques de Olinda, 262 - Bairro do Recife) 
Abertura: 01/04/2014
Período do evento: 01, 02, 03, 04, 08, 09, 10, 11, 15, 16, 22, 23, 24, 25, 29 e 30/04/2014
Horário : 09:30 horas
Entrada Gratuita 
Informações e agendamentos: (81) 3224-5739
www.centroculturalcorreiosrecife@correios.com.br