Services

Sobre o Centro

O Centro Cultural Correios Rio de Janeiro está localizado na Rua Visconde de Itaboraí, 20, no centro da cidade. Integra o Corredor Cultural, tendo como vizinhos a Casa França Brasil, ao lado, e o Centro Cultural do Banco do Brasil, defronte.

Mais sobre o centro
O imóvel foi inaugurado em 1922. As linhas arquitetônicas da fachada, em estilo eclético, caracterizam o prédio do início do século, construído para sediar uma escola do Lloyd Brasileiro. Mas isto não ocorreu e o prédio foi utilizado, por mais de 50 anos, para funcionamento de unidades administrativas e operacionais dos Correios. Na década de 80, o imóvel foi desativado para reformas, sendo reaberto em 2 de junho de 1992, parcialmente restaurado, para receber a "Exposição Ecológica 92", evento integrante do calendário da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente - RIO 92.

A inauguração oficial do Centro Cultural Correios aconteceu em agosto do ano seguinte, com a Exposição Mundial de Filatelia - Brasiliana 93. Desde então, o Centro Cultural Correios vem marcando a presença da instituição na cidade com promoção de eventos em áreas diversas, como teatro, vídeo, música, artes plásticas, cinema e demais atividades voltadas à integração da população carioca com formas variadas de expressão artística.

Suas instalações, adequadas à realização de diversificada programação, ocupam integralmente os 3.480m2 da área do prédio. O Centro Cultural Correios Rio de Janeiro é dotado de três pavimentos interligados por um elevador, também do início do século, de onde se pode ter uma visão panorâmica de todo o ambiente interno.

No andar térreo, está localizado o Teatro com 320 m² e capacidade para 200 pessoas.

Também no térreo há uma Galeria de Arte para pequenas mostras. No segundo e terceiro pavimentos, estão localizadas dez salas de exposições, com infra-estrutura e iluminação propícia a eventos de grande porte.

Ao fundo da Galeria de Arte está localizada a Agência JK, que oferece os serviços de Correios e de conveniência, com funcionamento de terça-feira a domingo, do meio-dia às 19 horas.

O Centro Cultural Correios dispõe também de um Bistrô, que funciona durante o horário de realização dos eventos.

A Praça dos Correios - uma área aproximada de 1,3 mil m² ao ar livre, com espelho d'água e suporte de uma concha acústica, que pode receber um público numeroso para eventos a céu aberto.

O Centro Cultural Correios, em média anual, recebe um público 400 mil visitantes e promove cerca de 50 eventos, com atrações variadas de teatro, música, dança, cinema e vídeo, além das exposições de diversos tipos de arte.

Confira as plantas baixas do Centro Cultural Correios no Rio de Janeiro



Mais informações sobre o espaço: unidadesculturais@correios.com.br

 

Programação
EXPOSIÇÕES

“Entre Terra” – Fotografias – Ricardo Nauenberg

Ricardo Nauenberg

Aventura visual de Ricardo Nauenberg Imagens de um subterrâneo urbano desaparecido

Ricardo Nauenberg tem um extenso currículo em TV, cinema e  design, mas no começo de sua formação artística a fotografia foi seu principal instrumento de trabalho. Em 2015, ele decidiu voltar ao imediatismo do clique. O cenário escolhido foi o subterrâneo da construção da Linha 4 do metrô carioca, inaugurada em agosto desse ano para a Olimpíada: uma paisagem à qual o público não teve acesso e desapareceu definitivamente quando a obra ficou pronta.

Entre milhares de cliques, 89 foram selecionados pelo artista e o curador Marc Pottier para compor a mostra “Entre Terra”, que ocupará uma área expositiva de 600 metros quadrados do Centro Cultural Correios do Rio de Janeiro. Acrescido de mais imagens, esse conjunto renderá também um livro a ser lançado no ano que vem. Esse ensaio fotográfico sobre as variações humanas e geográficas foi realizado nas escavações do Itanhangá [Barra da Tijuca], da Antero de Quental e Igarapava [Leblon] e Praça Nossa Senhora da ª. da Paz [Ipanema].

As fotografias em cor e em preto e branco não são sobre a obra de engenharia, mas sobre a capacidade de o homem interferir no meio ambiente. “Decidi mergulhar em um ensaio sobre o tema e durante um ano fotografei essas interferências, procurando focar se eram cicatrizes (se mal feitas) ou tatuagens (se bem planejadas)... Uma ação forte do homem no meio ambiente, com imagens e formas que surpreendem e que desapareceram, pois o processo se completaria em aproximadamente um ano”, conta Nauenberg.

A mostra é um registro estético, distante do fotojornalismo. O que interessa a Nauenberg é, por exemplo, documentar uma paisagem transitória, que ninguém captou; uma “Serra Pelada” submersa, como ele descreve. A lente de 600mm, que achata planos, e a 7mm, que distancia e  cria linhas e perspectivas, foram sua escolha para se afastar do enfoque documental jornalístico. Afinal, o que mais o atrai é a “interpretação do real” e não o factual.

O curador Marc Pottier diz que “[...] o que é essencial aqui é o que permanece invisível: a impressão, fotografia após fotografia, de um fascínio notável e imenso que vem da repetição e da revelação do poder de um artista que consegue impor a realidade a este mundo abarrotado com leis desconhecidas e a confirmação de que este trabalho é realmente o resultado de uma aventura espiritual profundamente vivida no limiar entre o consciente e o inconsciente. É a vitória do efêmero. Nas fotografias de Ricardo Nauenberg, o tempo parece já ter destruído a criação do homem”.

Serviço:
Exposição: “Entre Terra” – Fotografias – Ricardo Nauenberg
Abertura: 20 de dezembro, às 19h
Visitação: até 12 de março de 2017 - de terça-feira a domingo, das 12 às 19h – Grátis/Livre
Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro - Rio de Janeiro.
Telefone: (21)2253-1580 (Recepção)
centroculturalrj@correios.com.br
Curadoria: Marc Pottier
Apoio: Centro Cultural Correios Rio de Janeiro 

 

 “Opus CW XVI” – Pinturas – Cláudia Watkins

Cláudia Watkins

Na mostra, “flor e fundo se interpenetram de forma compacta ou translúcida, com suas constelações florais intensas, híbridas, inquietas, sonoras, sensitivas, vivas”, define o artista Xico Chaves.

A mostra da artista carioca Claudia Watkins reúne nove obras, formato 100x100cm, da série “Vasos e Flores”, realizadas em técnica mista s/tela. Segundo afirmação do artista visual, poeta transmídia e produtor artístico, Xico Chaves, desde o início, a pintura de Claudia Watkins compreende a ação direta e energética sobre o vazio da tela ou qualquer superfície. Projeta-se decidida sobre o suporte, como se fosse arrancar dele o que já está em seu imaginário.

“Múltipla na utilização de materiais pictóricos extrai do pigmento natural e industrial, ou da água e da resina acrílica, camadas que se reverberam em diversos planos, ora em linguagens abstratas, ora delineando sutilmente figurações simbólicas. Para ela o quadro é como um território poético a ser explorado, que deixa a descoberto sua própria extensão, como se expandisse sempre para fora, à procura de associações e narrativas abertas a diversas leituras”, enfatiza.

Na exposição Opus CW XVI, “o lirismo impressionista se configura como se a poesia estabelecesse um laço romântico entre o passado e o presente, a permanência da linguagem já consagrada e sua atualidade efêmera. Vasos de flores, pura e simplesmente, mas estas flores parecem imaginárias sem abdicarem de sua presença cotidiana. Predominam na pintura os relevos da espátula, ferramenta que a artista sempre manuseou com destreza e a planura expressiva da tinta, que imprime profundidade e luminosidade”.

Serviço:
Exposição: “Opus CW XVI” – Pinturas – Cláudia Wwatkins
Abertura: 20 de dezembro, às 19h
Visitação: até 12 de março de 2017 - de terça-feira a domingo, das 12 às 19h – Grátis/Livre
Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro - Rio de Janeiro.
Telefone: (21)2253-1580 (Recepção)
centroculturalrj@correios.com.br
Apoio: Centro Cultural Correios Rio de Janeiro 

 

“Trabalhos Recentes”

A inesgotável possibilidade da pintura contemporânea na arte de Jabim Nunes.

A primeira exposição individual do artista plástico fluminense apresenta ao público carioca um conjunto de 23 trabalhos no Centro Cultural Correios. Com curadoria do também artista e crítico de arte Gilvan Nunes, a mostra, com visitação gratuita, acontece no período de 14 de dezembro a 24 de fevereiro de 2017.

Na sua trajetória artística, Jabim Nunes desenvolve pesquisas baseadas nos construtivistas russos e Mestres da Bauhaus. Sua criação apresenta paisagens arquitetônicas orgânicas, de cores limpas, com texturas e luminosidades que surgem de recortes de papel, resultando num construtivo social/urbano com experimentações cromáticas de novos pigmentos, na busca de estabelecer um diálogo entre a obra e o espectador.

Natural de Parati-RJ, Jabim Nunes tem uma jornada paralela entre a arte e a educação. Atuante no panorama educacional do Rio de Janeiro, ele acredita na educação de qualidade se alicerçada às linguagens artísticas. É um dos professores fu

ndadores e idealizador do Núcleo de Arte Grande Otelo - espaço de extensão escolar - onde, há oito anos, propõe aos alunos investigações, experimentações e reflexões com finalização na criação artística.

Como arte-educador, seu objetivo tem sido o de despertar nos seus alunos a apreciação e o gosto pela arte, por meio de aulas-visitas a museus, centros e espaços culturais, além de entrevistas em ateliês de artistas da região como forma de valorizar as experiências no próprio contexto social. Nessas oportunidades a proposta sugere discussões e conhecimento sobre arte; formação de contempladores sensíveis e criativos; estímulo amplo do pensamento e ações que resultem na conscientização de um mundo melhor.

O reconhecimento do artista aconteceu no início de 2015. A expressividade do seu tra

balho levou algumas de suas obras para exposições coletivas pela Europa e Estados Unidos, além de integrar os acervos do Consulado Geral do Brasil em NY e uma galeria finlandesa. Jabim Nunes vem participando de várias mostras coletivas no País, em especial no Rio de Janeiro.

Serviço:
Exposição:
“Trabalhos Recentes” – Pinturas – Jabim Nunes
Abertura:
14 de dezembro, às 19h
Visitação:
até 24 de fevereiro de 2017 - de terça-feira a domingo, das 12 às 19h – Grátis/Livre
Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro - Rio de Janeiro.
Telefone:
(21)2253-1580 (Recepção)
Curadoria:
Gilvan Nunes
centroculturalrj@correios.com.br

Apoio: Centro Cultural Correios Rio de Janeiro e Rádio Antena 1.

 

“Paisagens Imersas” – Pinturas – Sandra Felzen

Arte e ciência levam o visitante a um instigante mundo costeiro marinho em pinturas, colagens, instalações e vídeos com objetivo de aprofundar conhecimento e valorizar as questões ambientais.

A exposição prestigia o público do Centro Cultural Correios com 19 obras da artista plástica Sandra Felzen, entre pinturas e colagens, inspiradas no ecossistema costeiro marinho. Também integra a mostra uma instalação vídeo-sonora sobre projetos desenvolvidos pelo Instituto Brasileiro de Biodiversidade - BrBio; a vídeo-instalação “Beleza Fatal”, focada na temática do coral-sol, além de trabalhos produzidos por Monica Carvalho numa parceria com a Instituição. A produção é do designer Jair de Souza.

 “A exposição reúne os olhares, da criação e da ciência, sobre o mundo costeiro marinho e tem como objetivos instigar o visitante a valorizar as questões ambientais e estimulá-lo a se aprofundar em uma experiência única”, explica Sandra. As obras foram criadas a partir da interação da artista com três projetos do BrBio: Coral Sol, Restinga Viva e Ecorais e inspiradas na fauna e flora nativas marinhas, com destaque para os corais brasileiros e o coral-sol - um invasor originário do Indo-Pacífico, que constitui uma séria ameaça à biodiversidade do litoral brasileiro e de outros países das Américas.

Os trabalhos que fazem referência à restinga - um dos ambientes brasileiros mais ameaçados - retratam espécies emblemáticas. A carioca Sandra Felzen é formada em química, mestre em ciências ambientais, e começou os estudos em artes plásticas nos anos 80, em Nova York. Em seu vasto currículo constam realizações e participações em várias exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior.

A diretora executiva do BrBio, Simone Oigman-Pszczol, ressalta: “essa exposição tem um significado enorme para nós da equipe da Instituição. Nosso instituto é um agente de multiplicação do conhecimento científico através da articulação para a conservação da biodiversidade. E é a partir dessa visão que buscamos criar e executar projetos multidisciplinares em ambientes marinhos e regiões costeiras. Foi justamente a integração entre os projetos e a arte que resultou na mostra”.

O BrBio é uma organização da sociedade civil de interesse público que tem como objetivo contribuir para a proteção e conservação do ambiente, através da promoção e implementação de projetos de pesquisas básicas e aplicadas à sustentabilidade ecológica, social e econômica. Pautado no conhecimento científico, tem como missão articular e integrar os diferentes setores da sociedade em busca de soluções para minimizar problemas ambientais, conservando a biodiversidade e contribuindo para uma melhor qualidade de vida da sociedade. Desenvolve iniciativas socioambientais que contemplam ações de monitoramento, manejo, educação ambiental, comunicação social, pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica.

Serviço:
Exposição:
“Paisagens Imersas” – Pinturas – Sandra Felzen
Abertura:
20 de dezembro, às 19h
Visitação:
até 24 de fevereiro de 2017 - de terça-feira a domingo, das 12 às 19h – Grátis/Livre
Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro - Rio de Janeiro.
Telefone:
(21)2253-1580 (Recepção)
centroculturalrj@correios.com.br
Apoio:
Centro Cultural Correios Rio de Janeiro e Instituto Brasileiro de Biodiversidade-BrBio.





 

Centro Cultural Rio de Janeiro


Visitação:
Centro Cultural Correios
Rua Visconde de Itaboraí, 20 - Centro
Corredor Cultural
20010-976 - Rio de Janeiro - RJ
Telefone: 0XX 21 2253-1580
Fax: 0XX 21 2253-1545
E-mail:

Funcionamento:
O Centro Cultural Correios recebe visitantes de terça-feira a domingo, das 12 às 19h
Entrada franca.