Services

Sobre o Centro

O Centro Cultural Correios Rio de Janeiro está localizado na Rua Visconde de Itaboraí, 20, no centro da cidade. Integra o Corredor Cultural, tendo como vizinhos a Casa França Brasil, ao lado, e o Centro Cultural do Banco do Brasil, defronte.

Mais sobre o centro
O imóvel foi inaugurado em 1922. As linhas arquitetônicas da fachada, em estilo eclético, caracterizam o prédio do início do século, construído para sediar uma escola do Lloyd Brasileiro. Mas isto não ocorreu e o prédio foi utilizado, por mais de 50 anos, para funcionamento de unidades administrativas e operacionais dos Correios. Na década de 80, o imóvel foi desativado para reformas, sendo reaberto em 2 de junho de 1992, parcialmente restaurado, para receber a "Exposição Ecológica 92", evento integrante do calendário da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente - RIO 92.

A inauguração oficial do Centro Cultural Correios aconteceu em agosto do ano seguinte, com a Exposição Mundial de Filatelia - Brasiliana 93. Desde então, o Centro Cultural Correios vem marcando a presença da instituição na cidade com promoção de eventos em áreas diversas, como teatro, vídeo, música, artes plásticas, cinema e demais atividades voltadas à integração da população carioca com formas variadas de expressão artística.

Suas instalações, adequadas à realização de diversificada programação, ocupam integralmente os 3.480m2 da área do prédio. O Centro Cultural Correios Rio de Janeiro é dotado de três pavimentos interligados por um elevador, também do início do século, de onde se pode ter uma visão panorâmica de todo o ambiente interno.

No andar térreo, está localizado o Teatro com 320 m² e capacidade para 200 pessoas.

Também no térreo há uma Galeria de Arte para pequenas mostras. No segundo e terceiro pavimentos, estão localizadas dez salas de exposições, com infra-estrutura e iluminação propícia a eventos de grande porte.

Ao fundo da Galeria de Arte está localizada a Agência JK, que oferece os serviços de Correios e de conveniência, com funcionamento de terça-feira a domingo, do meio-dia às 19 horas.

O Centro Cultural Correios dispõe também de um Bistrô, que funciona durante o horário de realização dos eventos.

A Praça dos Correios - uma área aproximada de 1,3 mil m² ao ar livre, com espelho d'água e suporte de uma concha acústica, que pode receber um público numeroso para eventos a céu aberto.

O Centro Cultural Correios, em média anual, recebe um público 400 mil visitantes e promove cerca de 50 eventos, com atrações variadas de teatro, música, dança, cinema e vídeo, além das exposições de diversos tipos de arte.

Confira as plantas baixas do Centro Cultural Correios no Rio de Janeiro




 

Programação
TEATRO

A Lição

A Lição

Do francês Eugène Ionesco, o texto de 1950 traz para a atualidade o drama da lógica de cada um na compreensão do mundo, das relações humanas, da disseminação de ideias e filosofias de vida.


O espetáculo tem direção de Cesar Bournier, que também entra em cena com os atores Charles Asevedo e Malu Pizzato, e juntos dão vida aos personagens da trama, que tem um desfecho tão surpreendente quanto a dramaticidade do teatro do absurdo de Ionesco.  Com curta temporada, a peça estreia no dia 12 de janeiro no Centro Cultural Correios, com sessões de quinta-feira a domingo, às 19h.

A campainha toca incessantemente até que a governanta recebe uma jovem radiante e extremamente interessada em ter aulas particulares. O professor – bastante popular e especializado em aritmética, filologia, línguas... e qualquer outra matéria que a aluna necessite aprender – entra em cena e, assim, começa um jogo de cortesia, elegância e gentilezas entre ambos.

Mas essa magia é quebrada quando a aluna teima em não compartilhar da lógica do professor, que tenta a todo custo convencê-la de que o seu pensamento é o único e possível naquele lugar. E, sempre sob a interferência da fiel governanta, o professor segue em seu objetivo que, sem êxito, só lhe resta como alternativa eliminar o elemento que, além de não compreender a sua lógica, denuncia o seu falso julgamento.

Serviço:
TEATRO: “A Lição”
Estreia: 12 de janeiro, às 19h
Temporada: Até 19 de fevereiro de 2017 - de quinta-feira a domingo, às 19h
Local: Teatro Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaboraí, 20 - Centro - Rio de Janeiro|RJ Capacidade: 200 lugares
Ingressos: R$ 20,00 (Inteira) e R$ 10,00 (meia)
Bilheteria: de terça a domingo, das 15h às 19h - Telefone: (21) 2219-5165
Classificação Indicativa: 12 anos
Duração: 60 minutos
Apoio: Correios.


EXPOSIÇÕES

 “Arte Capital” – Lucio Salvatore

...A cultura não é uma questão de verdade e conhecimento, mas uma questão de poder, e o capital, junto com a técnica, é o poder mais forte de todos...

O artista plástico ítalo-brasileiro apresenta obras desenvolvidas nos últimos, criando um sistema alternativo de mensuração, acumulação e transferência de valor que desafia as convenções do sistema dominante do mercado de arte.  Seus trabalhos, entre instalações, colagens, objetos e performances, questionam as lógicas do comércio e do capital financeiro, grande motor da evolução do universo da arte nos últimos 30 anos.

Em algumas obras, Lucio Salvatore reinventa a dinâmica do capital usando etiquetas de preços, formas novas de contratos, documentos de leilões de arte, centavos... Todos os elementos transformados na poética do artista que redefine as regras do jogo e relativiza a fé no valor da arte. Ele desafia a mística do mito de gênios certificados e lendas que nascem através da historiografia extremamente acelerada que valoriza os trabalhos dos artistas contemporâneos.

Instigantes, suas obras tratam das relações de poder e manipulação a partir de questões linguísticas, políticas, econômicas e tecnológicas. Entre tantas curiosidades, já na entrada da mostra, a obra “Os meios determinam o caminho” leva o visitante a uma experiência de caminhar sobre um tapete de dólares, enquanto uma única moeda de um centavo integra a instalação “Para um Centavo”, em uma sala de 147m2. E “Babel” é um convite à performance de empilhar moedas até o máximo de acumulação, até a construção cair.

Lucio Salvatore vive e trabalha na Itália e no Rio de Janeiro. Formado em economia na Universidade Bocconi de Milão, estudou filosofia e arte na EAV Parque Lage. Seus trabalhos já foram expostos em individuais realizadas em Milão, New York, Berlin e, no Brasil, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Serviço:
Exposição:
“Arte Capital” – Lucio Salvatore
Abertura:
20 de dezembro, às 19h
Visitação:
até 12 de março de 2017 - de terça-feira a domingo, das 12 às 19h – Grátis/Livre
Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro - Rio de Janeiro.
Telefone:
(21)2253-1580 (Recepção)
centroculturalrj@correios.com.br
Apoio: Centro Cultural Correios Rio de Janeiro



“Entre Terra” – Fotografias – Ricardo Nauenberg

Ricardo Nauenberg

Aventura visual de Ricardo Nauenberg Imagens de um subterrâneo urbano desaparecido

Ricardo Nauenberg tem um extenso currículo em TV, cinema e  design, mas no começo de sua formação artística a fotografia foi seu principal instrumento de trabalho. Em 2015, ele decidiu voltar ao imediatismo do clique. O cenário escolhido foi o subterrâneo da construção da Linha 4 do metrô carioca, inaugurada em agosto desse ano para a Olimpíada: uma paisagem à qual o público não teve acesso e desapareceu definitivamente quando a obra ficou pronta.

Entre milhares de cliques, 89 foram selecionados pelo artista e o curador Marc Pottier para compor a mostra “Entre Terra”, que ocupará uma área expositiva de 600 metros quadrados do Centro Cultural Correios do Rio de Janeiro. Acrescido de mais imagens, esse conjunto renderá também um livro a ser lançado no ano que vem. Esse ensaio fotográfico sobre as variações humanas e geográficas foi realizado nas escavações do Itanhangá [Barra da Tijuca], da Antero de Quental e Igarapava [Leblon] e Praça Nossa Senhora da ª. da Paz [Ipanema].

As fotografias em cor e em preto e branco não são sobre a obra de engenharia, mas sobre a capacidade de o homem interferir no meio ambiente. “Decidi mergulhar em um ensaio sobre o tema e durante um ano fotografei essas interferências, procurando focar se eram cicatrizes (se mal feitas) ou tatuagens (se bem planejadas)... Uma ação forte do homem no meio ambiente, com imagens e formas que surpreendem e que desapareceram, pois o processo se completaria em aproximadamente um ano”, conta Nauenberg.

A mostra é um registro estético, distante do fotojornalismo. O que interessa a Nauenberg é, por exemplo, documentar uma paisagem transitória, que ninguém captou; uma “Serra Pelada” submersa, como ele descreve. A lente de 600mm, que achata planos, e a 7mm, que distancia e  cria linhas e perspectivas, foram sua escolha para se afastar do enfoque documental jornalístico. Afinal, o que mais o atrai é a “interpretação do real” e não o factual.

O curador Marc Pottier diz que “[...] o que é essencial aqui é o que permanece invisível: a impressão, fotografia após fotografia, de um fascínio notável e imenso que vem da repetição e da revelação do poder de um artista que consegue impor a realidade a este mundo abarrotado com leis desconhecidas e a confirmação de que este trabalho é realmente o resultado de uma aventura espiritual profundamente vivida no limiar entre o consciente e o inconsciente. É a vitória do efêmero. Nas fotografias de Ricardo Nauenberg, o tempo parece já ter destruído a criação do homem”.

Serviço:
Exposição: “Entre Terra” – Fotografias – Ricardo Nauenberg
Abertura: 20 de dezembro, às 19h
Visitação: até 12 de março de 2017 - de terça-feira a domingo, das 12 às 19h – Grátis/Livre
Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro - Rio de Janeiro.
Telefone: (21)2253-1580 (Recepção)
centroculturalrj@correios.com.br
Curadoria: Marc Pottier
Apoio: Centro Cultural Correios Rio de Janeiro 

 

 “Opus CW XVI” – Pinturas – Cláudia Watkins

Cláudia Watkins

Na mostra, “flor e fundo se interpenetram de forma compacta ou translúcida, com suas constelações florais intensas, híbridas, inquietas, sonoras, sensitivas, vivas”, define o artista Xico Chaves.

A mostra da artista carioca Claudia Watkins reúne nove obras, formato 100x100cm, da série “Vasos e Flores”, realizadas em técnica mista s/tela. Segundo afirmação do artista visual, poeta transmídia e produtor artístico, Xico Chaves, desde o início, a pintura de Claudia Watkins compreende a ação direta e energética sobre o vazio da tela ou qualquer superfície. Projeta-se decidida sobre o suporte, como se fosse arrancar dele o que já está em seu imaginário.

“Múltipla na utilização de materiais pictóricos extrai do pigmento natural e industrial, ou da água e da resina acrílica, camadas que se reverberam em diversos planos, ora em linguagens abstratas, ora delineando sutilmente figurações simbólicas. Para ela o quadro é como um território poético a ser explorado, que deixa a descoberto sua própria extensão, como se expandisse sempre para fora, à procura de associações e narrativas abertas a diversas leituras”, enfatiza.

Na exposição Opus CW XVI, “o lirismo impressionista se configura como se a poesia estabelecesse um laço romântico entre o passado e o presente, a permanência da linguagem já consagrada e sua atualidade efêmera. Vasos de flores, pura e simplesmente, mas estas flores parecem imaginárias sem abdicarem de sua presença cotidiana. Predominam na pintura os relevos da espátula, ferramenta que a artista sempre manuseou com destreza e a planura expressiva da tinta, que imprime profundidade e luminosidade”.

Serviço:
Exposição: “Opus CW XVI” – Pinturas – Cláudia Wwatkins
Abertura: 20 de dezembro, às 19h
Visitação: até 12 de março de 2017 - de terça-feira a domingo, das 12 às 19h – Grátis/Livre
Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro - Rio de Janeiro.
Telefone: (21)2253-1580 (Recepção)
centroculturalrj@correios.com.br
Apoio: Centro Cultural Correios Rio de Janeiro 

 

“Trabalhos Recentes”

A inesgotável possibilidade da pintura contemporânea na arte de Jabim Nunes.

A primeira exposição individual do artista plástico fluminense apresenta ao público carioca um conjunto de 23 trabalhos no Centro Cultural Correios. Com curadoria do também artista e crítico de arte Gilvan Nunes, a mostra, com visitação gratuita, acontece no período de 14 de dezembro a 24 de fevereiro de 2017.

Na sua trajetória artística, Jabim Nunes desenvolve pesquisas baseadas nos construtivistas russos e Mestres da Bauhaus. Sua criação apresenta paisagens arquitetônicas orgânicas, de cores limpas, com texturas e luminosidades que surgem de recortes de papel, resultando num construtivo social/urbano com experimentações cromáticas de novos pigmentos, na busca de estabelecer um diálogo entre a obra e o espectador.

Natural de Parati-RJ, Jabim Nunes tem uma jornada paralela entre a arte e a educação. Atuante no panorama educacional do Rio de Janeiro, ele acredita na educação de qualidade se alicerçada às linguagens artísticas. É um dos professores fu

ndadores e idealizador do Núcleo de Arte Grande Otelo - espaço de extensão escolar - onde, há oito anos, propõe aos alunos investigações, experimentações e reflexões com finalização na criação artística.

Como arte-educador, seu objetivo tem sido o de despertar nos seus alunos a apreciação e o gosto pela arte, por meio de aulas-visitas a museus, centros e espaços culturais, além de entrevistas em ateliês de artistas da região como forma de valorizar as experiências no próprio contexto social. Nessas oportunidades a proposta sugere discussões e conhecimento sobre arte; formação de contempladores sensíveis e criativos; estímulo amplo do pensamento e ações que resultem na conscientização de um mundo melhor.

O reconhecimento do artista aconteceu no início de 2015. A expressividade do seu tra

balho levou algumas de suas obras para exposições coletivas pela Europa e Estados Unidos, além de integrar os acervos do Consulado Geral do Brasil em NY e uma galeria finlandesa. Jabim Nunes vem participando de várias mostras coletivas no País, em especial no Rio de Janeiro.

Serviço:
Exposição:
“Trabalhos Recentes” – Pinturas – Jabim Nunes
Abertura:
14 de dezembro, às 19h
Visitação:
até 24 de fevereiro de 2017 - de terça-feira a domingo, das 12 às 19h – Grátis/Livre
Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro - Rio de Janeiro.
Telefone:
(21)2253-1580 (Recepção)
Curadoria:
Gilvan Nunes
centroculturalrj@correios.com.br

Apoio: Centro Cultural Correios Rio de Janeiro e Rádio Antena 1.

 

“Paisagens Imersas” – Pinturas – Sandra Felzen

Arte e ciência levam o visitante a um instigante mundo costeiro marinho em pinturas, colagens, instalações e vídeos com objetivo de aprofundar conhecimento e valorizar as questões ambientais.

A exposição prestigia o público do Centro Cultural Correios com 19 obras da artista plástica Sandra Felzen, entre pinturas e colagens, inspiradas no ecossistema costeiro marinho. Também integra a mostra uma instalação vídeo-sonora sobre projetos desenvolvidos pelo Instituto Brasileiro de Biodiversidade - BrBio; a vídeo-instalação “Beleza Fatal”, focada na temática do coral-sol, além de trabalhos produzidos por Monica Carvalho numa parceria com a Instituição. A produção é do designer Jair de Souza.

 “A exposição reúne os olhares, da criação e da ciência, sobre o mundo costeiro marinho e tem como objetivos instigar o visitante a valorizar as questões ambientais e estimulá-lo a se aprofundar em uma experiência única”, explica Sandra. As obras foram criadas a partir da interação da artista com três projetos do BrBio: Coral Sol, Restinga Viva e Ecorais e inspiradas na fauna e flora nativas marinhas, com destaque para os corais brasileiros e o coral-sol - um invasor originário do Indo-Pacífico, que constitui uma séria ameaça à biodiversidade do litoral brasileiro e de outros países das Américas.

Os trabalhos que fazem referência à restinga - um dos ambientes brasileiros mais ameaçados - retratam espécies emblemáticas. A carioca Sandra Felzen é formada em química, mestre em ciências ambientais, e começou os estudos em artes plásticas nos anos 80, em Nova York. Em seu vasto currículo constam realizações e participações em várias exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior.

A diretora executiva do BrBio, Simone Oigman-Pszczol, ressalta: “essa exposição tem um significado enorme para nós da equipe da Instituição. Nosso instituto é um agente de multiplicação do conhecimento científico através da articulação para a conservação da biodiversidade. E é a partir dessa visão que buscamos criar e executar projetos multidisciplinares em ambientes marinhos e regiões costeiras. Foi justamente a integração entre os projetos e a arte que resultou na mostra”.

O BrBio é uma organização da sociedade civil de interesse público que tem como objetivo contribuir para a proteção e conservação do ambiente, através da promoção e implementação de projetos de pesquisas básicas e aplicadas à sustentabilidade ecológica, social e econômica. Pautado no conhecimento científico, tem como missão articular e integrar os diferentes setores da sociedade em busca de soluções para minimizar problemas ambientais, conservando a biodiversidade e contribuindo para uma melhor qualidade de vida da sociedade. Desenvolve iniciativas socioambientais que contemplam ações de monitoramento, manejo, educação ambiental, comunicação social, pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica.

Serviço:
Exposição:
“Paisagens Imersas” – Pinturas – Sandra Felzen
Abertura:
20 de dezembro, às 19h
Visitação:
até 24 de fevereiro de 2017 - de terça-feira a domingo, das 12 às 19h – Grátis/Livre
Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro - Rio de Janeiro.
Telefone:
(21)2253-1580 (Recepção)
centroculturalrj@correios.com.br
Apoio:
Centro Cultural Correios Rio de Janeiro e Instituto Brasileiro de Biodiversidade-BrBio.

Centro Cultural Rio de Janeiro


Visitação:
Centro Cultural Correios
Rua Visconde de Itaboraí, 20 - Centro
Corredor Cultural
20010-976 - Rio de Janeiro - RJ
Telefone: 0XX 21 2253-1580
Fax: 0XX 21 2253-1545
E-mail:

Funcionamento:
O Centro Cultural Correios recebe visitantes de terça-feira a domingo, das 12 às 19h
Entrada franca.