Você > Notícias > Correios recebe Prêmio de Boas Práticas da CGU

Correios recebe Prêmio de Boas Práticas da CGU

Os Correios foram premiados no III Concurso de Boas Práticas da Controladoria-Geral da União (CGU), na categoria “Aprimoramento das apurações disciplinares e de responsabilização de entes privados”, com o projeto “Capacitação em Apuração Direta de Conduta Funcional - O Controle Disciplinar como Ferramenta de Gestão”. A premiação foi realizada nesta quarta-feira (9) durante a cerimônia de comemoração pelo Dia Internacional contra a Corrupção, em Brasília, e contou com a presença dos ministros das Comunicações, André Figueiredo, da Educação, Aloizio Mercadante, e da CGU, Valdir Moysés Simão. A vice-presidenta de Serviços dos Correios, Célia Corrêa, recebeu o prêmio e enfatizou “a importância desta ação para valorizar o trabalho desempenhado pelos trabalhadores e pela gestão da empresa”.

O programa vencedor foi desenvolvido pelo Departamento de Controle Disciplinar dos Correios, com o apoio da Universidade Corporativa (UniCorreios), e foi avaliado segundo critérios como criatividade e inovação, custo-benefício, impactos da iniciativa/contribuição para a efetividade, simplicidade e replicabilidade. A ação já alcançou mais de 15 mil empregados, sendo a maior parte gestores da empresa.

A prática foi iniciada em 2012, a partir de um diagnóstico que identificou a necessidade de se fomentar uma nova cultura de conscientização sobre a correta utilização de ferramentas de controle, como a apuração direta. O projeto demonstrou que o controle disciplinar é um instrumento de auxílio à gestão e deve ter um caráter preventivo e estratégico, não servindo apenas como uma ação corretiva.

Prêmio – O Concurso de Boas Práticas da CGU tem o objetivo de estimular, reconhecer e premiar iniciativas no Poder Executivo Federal que contribuam para a melhoria da gestão pública. Neste ano de 2015, foram selecionadas práticas de cinco categorias: fortalecimento dos controles internos administrativos; aprimoramento das auditorias internas; promoção da transparência ativa e/ou passiva; aprimoramento das atividades de ouvidoria; e aprimoramento das apurações disciplinares e de responsabilização de entes privados.

9/12/2015