Services

Central Braille

Os Correios, em atendimento à determinação do Ministério das Comunicações, implantaram um serviço para ampliar o acesso das pessoas com deficiência visual ao serviço postal, por meio da remessa e do recebimento de correspondências na linguagem desenvolvida especialmente para eles, ou seja, o Código Braille. O trabalho de transcrição é feito com base no compromisso de sigilo profissional, condição essencial para a prestação de um serviço com a marca de credibilidade e respeito que os Correios conquistaram perante a sociedade.

A viabilização do serviço se deu graças à criação da Central Braille dos Correios, para a qual são encaminhadas as correspondências em Braille ou escritas em tinta, destinadas à conversão para a linguagem de domínio do destinatário. Estes textos transcritos são, em seguida, enviados para os domicílios dos destinatários, utilizando a logística normal de distribuição. A iniciativa da ECT favorece a integração social e contribui para a redução dos preconceitos que impedem a compreensão da diversidade.

Até então, os Correios ofereciam às pessoas com deficiência visual e respectivas instituições de apoio o cecograma, que possibilita o tráfego gratuito de mensagens em Braille. O cecograma não contempla, entretanto, a comunicação direta desses grupos com os demais segmentos da sociedade, como prestadores de serviços, casas comerciais, instituições bancárias, concessionárias de serviços públicos e pessoas físicas em geral.

Algumas empresas passaram a fazer uso da Central Braille dos Correios para emitir contas e extratos para clientes com deficiência visual, o que confirma a importância da iniciativa para a sociedade.