Você > Notícias > Esclarecimento sobre matéria do jornal O Estado de S. Paulo

Esclarecimento sobre matéria do jornal O Estado de S. Paulo

A respeito de matéria publicada no jornal O Estado de S. Paulo nesta segunda-feira (1º), os Correios esclarecem que não existe atraso de salários na empresa. 

O pagamento do salário de dezembro será realizado no dia 30 e o da segunda parcela do 13º, no dia 19 — portanto, em dia. A data de pagamento foi alterada, mas o depósito ocorrerá dentro do prazo estabelecido pela legislação e pelo acordo coletivo de trabalho. A alteração das datas de pagamento ocorreu para equilibrar as despesas do período, já que a empresa teve grandes desembolsos no segundo semestre com o acordo coletivo de trabalho, que reajustou os salários de 90 mil agentes de Correios em quase 20%, e com o plano de demissão incentivada.

O adiantamento dos pagamentos, que foi realizado em anos anteriores, não está previsto nos normativos da empresa nem no acordo coletivo de trabalho. Desde 2011, a estatal vem trabalhando para ajustar os procedimentos aos normativos.

A respeito dos resultados da empresa, esclarecemos que em 2013 os Correios implantaram o Programa de Melhoria de Gestão, que está conseguindo diminuir as despesas e melhorar as receitas e a qualidade operacional. 

Postalis — O déficit existente no Postalis, fundo de pensão dos trabalhadores dos Correios, refere-se apenas ao plano BD saldado, que possui cerca de 75 mil participantes ativos. Os Correios ressaltam que não existe déficit no plano PostalPrev, que atende cerca de 115 mil participantes ativos, e está atualmente equilibrado.

O déficit do plano BD saldado decorre de investimentos realizados até 2011. Parte desses investimentos foi realizada à revelia do Postalis, por administradores contratados, e o instituto tem ações em curso na Justiça visando à recuperação de todos os ativos que deram prejuízo — entre elas, contra a gestora Atlântica e o banco BNY Mellon —, com decisões favoráveis até o momento.

Em 2013, os Correios indicaram um novo diretor para a área de investimentos do fundo e a diretoria da estatal tem realizado reuniões periódicas com a direção do Postalis, para acompanhar o plano de ação de solução de déficit.

Plano de saúde — Foram os próprios Correios quem identificaram suspeitas de irregularidades na gestão do plano de saúde no Rio de Janeiro e solicitaram, em julho de 2013, a investigação atualmente conduzida pela Polícia Federal. Os Correios também instauraram processo de sindicância e constituíram grupo de apuração para apoio à investigação da PF, além de terem encaminhado denúncia sobre os fatos ao Ministério Público Federal em setembro de 2013.

Nova marca — A nova marca adotada em 2014 é resultado do novo posicionamento dos Correios no mercado, já que a empresa está entrando em novas atividades, como serviços postais financeiros, eletrônicos e de logística integrada e passa por um processo de revitalização desde 2011, com recuperação da capacidade de investimentos e da qualidade operacional.

O investimento de R$ 42 milhões citado pela reportagem corresponde a cerca de 0,26% da receita anual da empresa, advinda em grande parte do mercado concorrencial, altamente pulverizado e competitivo no Brasil, contando inclusive com a participação de gigantes multinacionais. Como todas as outras empresas do setor, os Correios realizam investimento para divulgar sua imagem e seus produtos.

Entrega de panfletos — Não houve exceção para qualquer candidato na entrega de panfletos nas eleições. A entrega de material eleitoral de candidatos e partidos sem chancela ou com chancela incompleta é prevista em norma dos Correios e foi realizada, em 2014, para diversos candidatos dos seguintes partidos: DEM, PDT, PHS, PMDB, PP, PPS, PR, PSB, PSC, PSD, PSDB, PSL, PT, PT do B, PTB, PTN e PV, conforme divulgado pelo próprio jornal em setembro deste ano.